Bom dia! Bem-vindo ao Portal da Prefeitura de São João da Boa Vista - SP
Fale Conosco:


Chefia de Gabinete
Administração
Ass. de Desenvolvimento Econômico
Assessoria de Trânsito e Segurança
Assistência Social
Comunicação Social
Cultura
Educação
Engenharia
Esportes
Finanças
Jurídico
Meio Amb, Agricultura e Abastecimento
Planejamento
Recursos Humanos
Saúde
Secretaria Geral
Serviços, Obras e Infraestrutura
Turismo



PROVA E GABARITO
CONSELHO TUTELAR

Arquivo Relacionado:
Convocação dos Eleitos
Relação Eleitos e Suplentes
Classificação Final
 










A CIDADE
Quinta-Feira 17 de Janeiro de 2019

HISTÓRIA | PERFIL MUNICIPAL | ATRATIVOS

ATRATIVOS CULTURAIS

MUSEUS
Museu Histórico e Pedagógico “Dr. Armando de Salles Oliveira”
Praça Governador Armando Salles, 124, Centro – Tel. 3631.0313

Museu de Arte Sacra da Diocese de São João da Boa Vista
Igreja Santa Terezinha, Avenida Thereziano Vallim – Tel. 3633.1408-

PRÉDIOS HISTÓRICOS-CULTURAIS
Theatro Municipal
Tombado pelo CONDEPHAT
Praça da Catedral, Centro – Tel. 3631.7653 (AMITE)
Theatro inaugurado em 1914.
Estado de Conservação: Restaurado.

Paço Municipal
Rua Marechal Deodoro, 366 – Tel.3634.1081
Local onde abriga o Gabinete do Prefeito Municipal.
Estado de Conservação: reformado e restaurado.

Escola Estadual “Cel. Joaquim José”
Tombado pelo CONDEPHAT
Praça Cel. Joaquim José, 123 - Tel. 3623.3782
Estado de Conservação: Restaurado.

SENAC (Antiga Câmara e Cadeia)
Rua São João, 204 –Tel.3623.2702
Estado de Conservação: Restaurado.

Sede Social do Palmeiras F.C.
Avenida Dona Gertrudes, 221 – Tel. 3623.1436
Estado de Conservação: Restaurado.

Palácio Episcopal
Residência oficial do Bispo da Diocese de São João da Boa Vista
Praça Roque Fiori, 280 – Tel. 3622.2245
Estado de Conservação: ----

Estação Ferroviária da FEPASA
Praça Rui Barbosa, n. º 41 - Rosário.
- Trens de carga passam pela cidade diariamente em direção ao sul de Minas Gerais.
- Espaço onde se encontra o Departamento de Cultura e Turismo, Escola Municipal
de Iniciação Musical, Fundação Oliveira Neto (responsável pela restauração e reforma do Teatro Municipal), Arquivo Municipal, Academia de Letras, o Espaço Cultural Fernando Arrigucci - com exposições variadas durante o ano todo e o Banco do Povo.
Estado de Conservação: Precisa ser restaurado e reformado.

 

ATRATIVOS CULTURAIS DO MUNÍCIPIO

TEATRO MUNICIPAL - Inaugurado em 03 de maio de 1914
Em pleno coração da cidade, ergue-se com linhas arquitetônicas belíssimas o Teatro Municipal, que silencioso, guarda uma tradição de quase um século num vastíssimo e precioso passado.
Pelas suas largas portas passaram ilustres personalidades e seu palco recebeu as mais famosas companhias teatrais da época como “Tosca”, “Bohemia”, “Cavalaria Rusticana”, “Barbeiro de Sevilha”. Foi no seu palco que a ilustre filha de São João, a internacional pianista, Guiomar Novaes, apresentou-se aos aplausos de seus conterrâneos. Outras celebridades por aqui passaram como Villa Lobos. Foi um passado glorioso desse Teatro para onde afluíam centenas de pessoas das cidades vizinhas, paulistanos, cariocas e personalidades expressivas estrangeiras, turistas que atraídos pelas águas termais de Águas da Prata e pelos famosos cassinos e Poços de Caldas, assistiam e freqüentavam o Teatro em São João, pois, era o único no interior do Estado.
Com o intuito de modernizar ou comercializar o Teatro, a partir de 1967 foi perdendo o esplendor antigo. Em 1981, pela Lei 219 de 26.08, o Prefeito Municipal Nelson Mancini Nicolau, decretou de utilidade pública o prédio. Em 1983, o Prefeito Municipal Sidney Beraldo, adquiriu o prédio.
Em 1984 foi feito um levantamento das aspirações do povo e foi unânime o desejo de restauração. Com o projeto de Restauração e Reciclagem do Teatro Municipal, foi tombado pelo CONDEPHAAT em 19 de janeiro de 1987.
Hoje, o Teatro já restaurado abriga os valores novos que despontam na música, na dança, nas artes cênicas: e dá abrigo a Semana Guiomar Novaes que já se faz tradição. Enfim, volta a ser o nosso “templo de cultura e arte”.
O Teatro Municipal é administrado pela AMITE – Associação dos Amigos do Teatro
de São João da Boa Vista. (Fonte: Departamento de Cultura e Turismo).

ESTAÇÃO FERROVIÁRIA – Inaugurada em 1886 e Reinaugurada em 1936
A Estação Ferroviária foi o portal de entrada e saída da cidade. Seu armazém, o escoadouro das fases econômicas do município. Após décadas no esquecimento, o espaço vem sendo recuperado pela Prefeitura Municipal, transformando-se no principal centro cultural da cidade.
Tudo começou em 27 de agosto de 1875, quando foi inaugurado o primeiro trecho desta estrada de ferro, de Campinas a Mogi Mirim. Depois, de uma só vez, em 1º de janeiro de 1878, inaugurou-se o trecho de Mogi Mirim a Casa Branca.
Para atender os passageiros que se destinavam à Vila de São João da Boa Vista e à de Poços de Caldas, já então muito procurada em virtude de suas águas termais, a Companhia construiu uma estação em terras do município de São João. Ela foi inaugurada em 14 de janeiro de 1878, recebendo a denominação de Estação de Caldas.
Com a conclusão do ramal férreo de Poços de Caldas, o nome da estação foi mudado para “Engenheiro Mendes”, em homenagem ao chefe da primeira divisão da Mogiana, Manuel da Silva Mendes.
O local chegou a ser o ponto mais comercial do município de São João. Ali se estabeleceram fortes casas de negócio e mantiveram-se escolas. Porém, após 1886, a Estação Engenheiro Mendes foi decaindo rapidamente, tanto que no início do século 20, vivia unicamente das recordações do passado, com suas edificações praticamente em ruínas.
Mas a partir de 1880, a cultura do café tornou-se extensiva. No município, também cultivava-se fumo, cana-de-açúcar e outros gêneros, além da criação de gado vacum e suíno. Transportar toda essa preciosa e perecível mercadoria, por léguas de distância até a Estação Engenheiro Mendes, tornou-se o principal fator das reivindicações.
O privilégio para a construção, uso e gozo do Ramal Férreo de Caldas foi concedido à Companhia Mogiana pelo Decreto 8888 de 17 de fevereiro de 1883. Os respectivos estudos foram iniciados em 5 de abril, ficando terminados a 12 de junho do mesmo ano.
A construção foi entregue ao empreiteiro alemão Nicolau Rehder, o qual sub-empreitou os engenheiros Brodowsky e Paula Souza.
O Ramal de Caldas foi talvez a mais difícil e onerosa linha férrea construída pela Companhia Mogiana, devido o acidentado terreno entre Águas da Prata e Cascata.
A inauguração do Ramal de Caldas ficou marcada para o dia 22 de outubro de 1886. A inauguração do Ramal de Caldas seria presenciada pelo Imperador D. Pedro II e sua mulher, Dona Tereza Cristina.
Com os trilhos da Mogiana, chegou um novo estímulo para o progresso de São João, facilitando o intercâmbio econômico e cultural com cidades mais adiantadas e com a Capital da Província de São Paulo.
A Estação Ferroviária tornou-se um portal de entrada e saída da cidade, por muitas e muitas décadas. A chegada de ilustres tinha endereço certo, e quase todos da cidade iam recepcioná-los no Largo da Estação, somando-se os curiosos e muitas crianças. As recepções mais solenes eram previamente anunciadas na imprensa e contava com a presença de banda musical.
Após 40 anos da “imperial inauguração” do ramal férreo, a cidade crescera populacional e economicamente. Porém, a velha Estação Ferroviária continuava a mesma, sem receber grandes reformas pela Companhia Mogiana.
Em 1925, a imprensa sanjoanense colocou em pauta o assunto, afirmando que o prédio enfeiava a cidade, dando uma desagradável impressão aos visitantes.
Assim, a nova Estação foi construída no mesmo local que a antiga, as obras só iniciaram em fevereiro de 1934, ficando concluído no mês de novembro o grande armazém, com uma extensão de 100 metros. Para viabilizar sua implantação, foi necessário demolir um conjunto de casas existente no canto da praça, ampliando a área livre deste logradouro. A construção da nova estação foi mais demorada, concluindo-se em 1936. A nova estação segue o estilo neo-clássico, muito em voga nos anos 1920 para caracterizar os edifícios públicos. (Fonte: Antonio Carlos Lorette).
Hoje o prédio abriga o Departamento Municipal de Cultura e Turismo, a Escola Municipal de Música, o Arquivo Histórico “Matildes Lopes Salomão”, a Fundação Oliveira Neto - restauradora do Teatro Municipal, o Espaço Cultural Fernando Arrigucci - que mantêm exposições de artistas plásticos durante o ano, a Academia de Letras de São João da Boa Vista, o Banco do Povo e o PAT (Posto de Atendimento ao Trabalhador).

CENTRO CULTURAL PAGU – Fundado em 1989
O Centro Cultural Pagu abriga a Biblioteca Municipal “Jaçanã Altair” com acervo completo de jornais, revistas, biblioteca infantil, sala de leitura de periódicos, gibiteca, mapoteca, grande quantidade de livros para pesquisa, leitura. Além, do núcleo de informática - Acessa São Paulo.
Junto ao Centro Cultural também está a Casa do Artesão, onde vários artesãos da cidade expõe e vende seus mais variados trabalhos.
O nome do Centro Cultural homenageia a escritora sanjoanense Patrícia Rehder Galvão (Pagú). (Fonte: Departamento de Cultura e Turismo).

MUSEU HISTÓRICO E PEDAGÓGICO ARMANDO SALLES DE OLIVEIRA– Inaugurado em 1970
O prédio do Museu Histórico e Pedagógico “Dr. Armando de Salles Oliveira” foi construído por Joaquim José de Oliveira Filho (1830-1903), para servir de residência urbana.
Maria Inês da Silva Oliveira, mais conhecida como Dona Tita (1887-1969), filha de Don’Anna Gabriela da Silva e do Cel. Joaquim José de Oliveira, foi quem herdou a residência, conservando-a com todos os móveis e pertences da época dos pais.
Dona Tita adorava colecionar objetos antigos. Em suas viagens à Europa, Ásia e pelo Brasil afora, ela comprava muita coisa que julgasse de interesse, chegando na estação da Mogiana com as malas cheias de porcelanas, cristais, roupas típicas, leques, moedas, souvenirs e outras miudezas.
Dona Tita doou o prédio mobiliado e sua coleção, por testamento, à Prefeitura Municipal, e o museu foi inaugurado em 1970. (Fonte: Antonio Carlos Lorette).
O Museu tem peças de quase todas as partes do mundo em sua maioria doadas por Dona Tita de Oliveira, que retratam o estilo de vida de tempos atrás, conservando assim a memória.

EE “CEL JOAQUIM JOSÉ” EF – Inaugurada em 1905
O Grupo Escolar “Cel Joaquim José”, fundado em 3 de novembro de 1896, foi o primeiro estabelecimento de Ensino Oficial de São João. A instalação contou com o auxilio dos chefes políticos da cidade, inclusive o Cel. Joaquim José de Oliveira, o qual sempre acompanhou de perto os assuntos da implantação da escola.
Depois de ser instalada em prédios alugados pela Câmara e na “Casa da Instrução”, o Grupo Escolar ficou fechado por vários meses. Mais tarde, depois de alguns tramites legais, ficou determinada a implantação do Grupo em frente à Praça “Cel Joaquim José”. O conjunto Grupo Escolar e Praça “Cel. Joaquim José” era o primeiro símbolo cívico-republicano de São João.
Assim, em 1º de fevereiro de 1905, as aulas começaram a funcionar no novo prédio, sem uma inauguração oficial. (Fonte: Ana Claudia Câmara).
A centenária escola “Cel Joaquim José” localizada no centro da cidade, abriga o Memorial Escolar com centenas de peças antigas referente a história da educação.

CASA MARINGOLO – Construída em 1926
José Maringolo (Palucci/Calábria, 1889 - São João, 1972) chegou ao Brasil em 1906. No começo, residiu e trabalhou numa fazenda de São José do Rio Pardo, com o irmão mais velho, Pedro. Pouco tempo depois, mudou-se para São João, encarregando-se da distribuição de leite da Fazenda Capituva.
Após ter juntado algum dinheiro, casou-se em 1912 com Rosa Sabino (1895 - São João, 1981) e teve três filhos: José, Leonardo e Francisco. Foi morar na cidade, onde abriu uma loja de “secos e molhados” na Avenida Dona Gertrudes, nº 35. Acabou comprando o terreno ao lado e contratou o marmorista e escultor Fernando Furlanetto para projetar sua residência, em cujo pavimento térreo faria sua nova loja – uma casa de ferragem, onde poderia encontrar material de construção, ferramentas agrícolas e outros.
Furlanetto era um excelente aquarelista, esmerando-se na confecção do projeto tal como fazia para as encomendas de mausoléus. Em seu currículo da Escola de Belas Artes de Pietrasanta, constava o curso de arquitetura, lembrando que as obras escultóricas daquele tempo eram suportadas, envolvidas ou faziam parte de uma estrutura arquitetônica.
O desenho original não está datado, mas podemos situar o projeto da Casa Maringolo entre os anos 1924 e 1925, pois em 1926 a obra estava em acabamento interno, com as pinturas decorativas executadas por Toniquinho e Budelon.
Nesta mesma época, Furlanetto projetou o prédio do Cine São João (demolido), na Praça Gov. Armando Salles, para o italiano Amadeu Budri. Em 1927, ele foi chamado para projetar e acompanhar a reforma do sobrado da família Pedro Westin (Tombado pelo CONDEPHIC), na mesma praça. Nestes projetos, encontramos a mesma concepção espacial e os mesmos cuidados de Furlanetto na confecção dos ornamentos em argamassa.
Fachada da Casa
O que torna a fachada da Casa Maringolo extremamente atraente são os elementos decorativos, caprichosamente moldados em argamassa de cimento e cacos de telha, pelo escultor Fernando Furlanetto.
Em linhas neo-renascentistas, com uma certa licença estilística, a fachada é composta simetricamente em três partes, vazadas por portas e janelas. Na lateral direita, acoplada à fachada principal, fica a entrada da residência. Acima, o alpendre balaustrado, onde ainda se tem vistas privilegiadas para a Avenida.
O pavimento térreo da fachada foi tratado em rusticação, com pedra de fecho arrematando as vergas das portas do comércio. No pavimento superior, a janela tripartida dá para uma sacada em balaústre, coroada por frontão circular. Na platibanda, disfarçando o telhado, também em balaustrada, o destaque central é uma placa em carranca, cercada por cachos de uvas, rosas e volutas de folha de acanto. Para decorar os frisos e as pilastras, foi aplicada uma profusão de guirlandas de flores, folhas e fitas. Atualmente, o prédio abriga a farmácia de manipulação Art’ Ervas.
(Fonte: Antonio Carlos Lorette).

PAÇO MUNICIPAL – Construído em 1925
Concebido em 1925 para servir como palacete residencial, o Paço Municipal de São João da Boa Vista foi adaptado em 1942 para abrigar a sede do poder executivo. (Antonio Carlos Lorette).
Reformado e restaurado, o patrimônio histórico ainda funciona como gabinete do prefeito. (Fonte: CTUR – Comissão de Turismo).

ANTIGA CÂMARA E CADEIA (Abriga o Senac) – Inaugurado em 1887
O Prédio do Senac em São João da Boa Vista traz uma longa história. Inaugurado em 1887, foi projetado pelo engenheiro militar Euclides da Cunha para abrigar a Câmara Municipal e a Cadeia. A mesma planta de São João da Boa Vista serviu como base para a construção de prédios públicos em diversos municípios do Estado de São Paulo.
O terreno escolhido para construir a Câmara ficava estrategicamente no meio da principal via local - a rua São João -, que ligava a Estação Ferroviária à Igreja Matriz de São João Batista. Esta estação era o portal de entrada e saída da cidade naquela época.
O prédio se destacava no meio provinciano. Enquanto as construções vizinhas se acotovelavam em estrutura de madeira e amarrações em taipa, a nova edificação exibia fachada em alvenaria de tijolos, tudo aparente, sem argamassa de revestimento. A fachada do prédio apresentava arquitetura clássica, com pilastras sobrepostas nos estilos jônico e dórico. No pavimento térreo, funcionava a cadeia, tendo à frente as salas do delegado e dos guardas, e, nos fundos, três celas. O alto vestíbulo dava acesso à escadaria de madeira, levando ao pavimento superior, área reservada à Câmara Municipal, que se reunia uma vez por mês. No período imperial, a Câmara cumpria os papéis legislativo, executivo e judiciário.
A partir da proclamação Estado, a uma quadra de distância, deixando o antigo prédio exclusivo às funções da da República, o prédio passou a abrigar, além da Câmara Municipal, o fórum da cidade. Para adequar-se à nova organização, a instalação passou por uma reforma em 1905. Doze anos depois, o Fórum e Cadeia mudaram-se para um prédio especialmente construído pelo Câmara e Prefeitura Municipal.
Em 1924, foi realizada uma nova reforma. O projeto adotado foi o do engenheiro-arquiteto Tito Travassos. As portas do pavimento superior foram vedadas. Outras foram abertas e uma parede foi construída para melhorar a divisão em departamentos municipais. Foram realizadas novas pinturas decorativas e a remodelação completa das fachadas, agora seguindo a moda eclética vigente, com alguns elementos art nouveau. Na fachada principal, foi montado um terraço sobre colunas coríntias, servindo como palanque para os presidentes da Câmara ou prefeitos eleitos. Em torno do prédio, um jardim com canteiros geométricos e um muro condizente com o estilo das fachadas.
O Paço Municipal funcionou até 1942, quando a Prefeitura e Câmara Municipal mudaram para um novo prédio ao lado do Theatro Municipal, um uma residência neoclássica. A partir desta data, o antigo prédio da Câmara foi utilizado para departamentos municipais e estaduais, recebendo pequenos aparos e reformas de adequação.
Nos anos 90, a Câmara Municipal cogitou o retorno de suas instalações para o prédio, providenciando um estudo técnico de viabilidades. Os vereadores, porém, decidiram manter o Departamento de Promoção Social funcionando no local. Na ocasião, o prédio se encontrava em estado deplorável, com várias rachaduras, madeiramento atacado por cupins, instalações hidráulica e elétrica ultrapassadas, colocando em risco o imóvel por incêndio ou ruína.
Preocupadas com preservação de patrimônio histórico de São João da Boa Vista, porém sem ter condições financeiras para restaurar o prédio, em meados de 1998, a Prefeitura e a Câmara Municipal ofereceram a concessão do local para a instalação do Senac, que arcaria com as despesas de restauração da edificação.
A reforma foi planejada e acompanhada pelo arquiteto Antonio Carlos Rodrigues Lorette. As obras começaram em janeiro de 1999 e foram entregues em junho de 2000. A restauração contribuiu para a revitalização de uma área deteriorada, próxima ao centro da cidade, incentivando outras obras em prédios públicos e privados. (Fonte: SENAC).

CRISTO REDENTOR
Ponto de referência da cidade, localiza em uma região alta de São João da Boa Vista, dando aos visitantes uma vista privilegiada do município. Av. Oscar Pirajá

PALÁCIO EPISCOPAL
É a residência oficial do Bispo da Diocese e traz grande valor histórico. A bela fachada vale a pena ser conferida.

FONTE LUMINOSA
Reinaugurada em 2004, a Fonte Luminosa atrai amantes dos velhos tempos das praças. Além, das luzes, a água dança ao som de música. Funciona aos finais de semana e feriados. Praça. Armando Sales de Oliveira.

• CEMITÉRIO MUNICIPAL SÃO JOÃO BATISTA
Clique aqui e conheça toda a história do Cemintério Municipal

ATRATIVOS NATURAIS

PROJETO SERRA DA PAULISTA / MIRANTE

Sítio Douradinho
Proprietário: Luis Oscar e Lucia - Tel. (19) 3638.9029 / 9717.6533
Sítio Boa Vista
Proprietário: Grespan - Tel. (19) 3624.1184 / 3623.2108
Sítio Fortaleza
Tel. 3633.5389/9119.4813
Fazenda Paineiras
Proprietário: Fabio Pimentel - Tel. (19) 3631.8220 / 9721.8688 Cel. Funcionário: (19) 9717.6219
Haras Sol Nascente
Proprietário: Israel Falda e Lourdes - Tel. (19) 3623.2709
Pesqueiro e Restaurante Mirante
Proprietária: Leninha - Tel. (19) 3649.1229

Turismo Rural e Ecológico Progresso
Rodovia SP 342, Km 4,5 São João / Águas da Prata
Restaurante – Capacidade para 120 pessoas e 350 pessoas na parte superior - Tel. 3623.1990
Pousada – 4 apartamentos e 6 casas – Total de Leitos: 70 - Tel. 3633.2932
Bosque Municipal Gavino Quessa “Cumprade Fica-Fica”
R. Valmíria Rodrigues Gregório de Paulo s/nº - Jd. Recanto do Bosque
Pedra Balão – Estrada da Pedra Balão

PESQUEIROS
Pesqueiro Capituba - Rodovia SP 344, Km 239 - Tel. (19) 3633.1773
Pesque-Pague Morada do Sol - Rodovia SP 344, Km 229 - Tel. (19) 975.9043 / 975.9609
Pesqueiro Progresso – Rod São João - Águas da Prata - Tel. (19) 3633.2932

 


JORNAL OFICIAL

CLIQUE PARA ACESSAR





A Cidade de São João
Atualização Cadastral de IPTU
Alvarás Emitidos - Validação
Cemitério
Compras e Licitações
Concursos Públicos
Consulta de Abertura de Empresa
Consulta de Processos
Convênio Empresas Servidores
Detran - SP
Diagnóstico Sócioeconômico
DIPAM Transmissão de GIA
Downloads
Exemplo Memorial de Atividades
IPVA
Notícias da Cidade
Ouvidoria
Portal da Transparência
Unidades e Serviços de Saúde
2ª Via de Tributos/Taxas
Repasses ao Terceiro Setor
Plano Municipal de Acessibilidade
COMEN
 











Vagas Abertas


©2019 • PREFEITURA DE SÃO JOÃO DA BOA VISTA

ENDEREÇO
Rua Marechal Deodoro, 366
Centro - CEP 13870-223
São João da Boa Vista-SP
CONTATOS
Central: (19) 3634-1000
Pátio: (19) 3634-8000
Ouvidoria: 0800 7730156

Setor de Fiscalização: (19) 3634-1018
Setor de Licitações: (19) 3634-8006
WebSite: (19) 3634-2644

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
Desenvolvido por Dg3 Comunicação